Mensagem

Mensagem do Presidente

Armando Fontainhas

A Adega Cooperativa de Monção faz vida e negócio com um dos mais antigos veios económicos da Humanidade: a terra, a vinha e o vinho. 

Esta terra, esta vinha, este vinho formam o primeiro território português que se afirmou no mundo vitivinícola como uno e indivisível. A história da Adega de Monção e da Região é o que nos define junto de distribuidores e de consumidores de todo o mundo. 

O nosso trabalho na economia e na viticultura locais é, sobretudo, uma enorme montra sobre as valências da região de Monção e Melgaço, do seu património, bem como de muitos aspetos patrimoniais e históricos que influenciam a identidade dos vinhos que produzimos, mostrando o porquê de estes vinhos só poderem ser mesmo daqui e não poderem ser recriados em mais lado nenhum. Sabendo bem a nossa origem, nunca nos desviámos do nosso caminho. E este é um caminho muito simples e, sobretudo, totalmente verdadeiro, construído pelos nossos cooperantes. São eles que nos exigem que não nos desviemos um milímetro do que somos, mas que também nos exigem que sejamos competitivos no presente e capazes de crescer no futuro. São eles que não esquecem a qualidade como condição essencial ao sucesso nos exigentes mercados de hoje e que sabem que um percurso de sucesso estará sempre incompleto se não investir no seu futuro: nas suas pessoas, na sua comunidade, na inovação e criando emprego e valor para que mais fiquem aqui connosco e não noutro lado e com outros. 

Nestes mais de 60 anos sempre soubemos dar passos firmes, não arriscando fazer o que não sabemos fazer, mas dando sempre passos em frente, consolidando a qualidade do que produzimos e garantindo o seu sucesso comercial junto de quem vende e consome os nossos vinhos. O mercado olha para nós e reconhece um produto sólido, de qualidade constante à partida e em evolução sempre atenta às tendências dos mercados mais exigentes, mas também um produto que nunca compromete a identidade do que fazemos, a origem do que somos e as promessas que o nosso produto pode cumprir. Os mercados e os peritos internacionais ratificam aquilo que o mercado e os especialistas nacionais há muito conhecem: que os nossos vinhos têm evoluído no caminho certo e que as mais recentes colheitas estão à altura dos elevados pergaminhos que carregamos aos ombros, com tanto prazer e responsabilidade como carregamos os cestos aquando da vindima.

É com esta entrega e com esta paixão que respondemos ao que é a nossa razão de ser e o que molda a nossa forma de estar: a entrega e a paixão que os nossos cooperantes dedicam, todo o ano, a tratar das suas uvas, das nossas uvas, deste nosso vinho. Uma paixão que, graças ao profissionalismo e à sensibilidade dos nossos incansáveis parceiros comerciais, se sente da mão que pega no cacho até à mão que, já na prateleira, escolhe uma nossa garrafa. 

O nosso sucesso, mais do que um qualquer e necessariamente efémero sucesso de comunicação ou comercial, é um sucesso perene, porque é um sucesso da comunidade e do seu produto. 

É um sucesso que, como diz a canção, vem de longe e vai para longe. Sem nunca sair de Monção e de Melgaço. 

Orgãos Directivos

  • António Manuel Alves Pereira
  • Jerónimo Fernandes Basteiro
  • Manuel Domingues Rodrigues

Efetivos

Armando Paulo Rodrigues Fontainhas – Presidente do Conselho de Administração

Nascido e criado em Monção, é licenciado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e está ligado ao setor empresarial da região desde 1990 e onde ainda hoje exerce atividade como empresário. Faz parte da Adega de Monção desde 1998 quando foi eleito Presidente do Conselho Fiscal, passando pelo cargo de Vice-Presidente durante 13 anos e é desde 2014 Presidente do Conselho de Administração. É hoje Vogal da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes.

 

Manuel Gonçalves Fernandes – Vice-Presidente do Conselho de Administração

É hoje vice-presidente da Direção da Adega de Monção onde ocupa esta posição desde 2014, contudo a sua entrada na Adega foi feita em 2001 como membro da Direção. Nasceu em Monção e com 16 anos emigrou para o Brasil onde, no Rio de Janeiro, passou grande parte da sua vida. No Brasil estudou Dactilografia nos anos 60, mas foi como gerente de duas lojas de padaria e confeitaria que passou grande parte da sua vida profissional.

 

Manuel José Armada – Secretário

Foi em Melgaço que nasceu, mas foi no Mundo que viveu grande parte da sua vida onde passou em países como França, Zaire, Argentina e Guiné Conakri como reponsável de obra na construção civil. Em 1996 regressa em definitivo a Melgaço e desde então dedica a sua vida à viticultura e é desde o ano de 2001 Diretor do Conselho de Administração da Adega de Monção.

 

Jorge Miguel Dias Pereira – Tesoureiro

O Eng Jorge nasceu e estudou em Lisboa até aos 20 anos, altura em que se mudou para Monção onde estudou Engenharia Agronómica na Escolha Superior Agrária de Ponte de Lima. Hoje em dia é viticultor a tempo inteiro e faz parte dos órgãos sociais da Adega de Monção desde 2017 onde iniciou como Vogal e hoje em dia é Tesoureiro.

 

Inácio Manuel Gonçalves – Vogal

Nasceu em Melgaço, mas aos 5 anos emigrou com a família para o Canadá onde estudou, trabalhou e viveu até aos 32 anos. Regressou então com essa idade para Melgaço onde começou a plantar Alvarinho e a ser viticultor a tempo inteiro até aos dias de hoje. É desde 2022 membro da Direção da Adega de Monção como Vogal.

 

Suplentes

  • José António Rodrigues

  • António Fernando Rodrigues Pinto

  • Carolina da Conceição Machado Rodrigues

Efectivos
  • Carla Alexandra Presa Trancoso
  • Manuel José Baptista Abreu
  • Edgar Felgueiras Carvalho
Suplentes
  • Pedro Araújo Gonçalves
  • Paulo Jorge Fernandes Dias